Destaque arrow Marinha Grande


Artigo de opinião de Gonçalo Silva PDF Print E-mail
Terça, 12 Abril 2011

centro_empregoabrimai.jpgA cidade da Marinha Grande sofre de graves problemas sociais, que com o agravamento da crise económica e financeira se têm vindo a acentuar.

O desemprego, um dos grandes problemas sociais do concelho, atingiu níveis recorde. Uma das soluções a implementar para a resolução deste problema passa por conseguir atrair investimento que crie emprego.

Outro problema do concelho é a toxicodependência. Tal como acontecia noutras épocas no que respeita à vinda de trabalhadores de outras zonas do país, também hoje em dia a Marinha Grande é procurada por toxicodependentes não residentes. A criação de salas de injecção assistida e a distribuição controlada de heroína (que já é uma realidade com alguns anos e com bastante sucesso na Suíça), viria por um lado oferecer condições de higiene e segurança aos consumidores, assim como minimizar o sentimento de insegurança associado a esta população, e seria ainda uma valente machadada no tráfico e nas máfias a ele associadas, uma vez que perderiam os clientes.

Gonçalo Vieira da Silva
 
Comerciantes e Moradores de São Pedro de Moel contestam o início das obras em plena época balnear PDF Print E-mail
Terça, 12 Abril 2011

img_5123.jpgSegundo fontes oficiais, o Instituto da Água prevê o início das obras de estabilização das arribas de São Pedro de Moel para próximo mês de Junho. A estabilização das arribas de São Pedro de Moel é um investimento de 1,6 milhões de euros, financiado em 70 por cento (%) pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional.
O projecto inclui medidas de estabilização das arribas, através do enchimento de cavidades em determinadas zonas, obras de protecção marítima na base do talude e a implantação de estruturas de contenção na marginal. A melhoria da drenagem das águas superficiais, a criação de um muro de contenção e a colocação de estacarias estão também contempladas na intervenção.

A maioria dos moradores e dos comerciantes daquela praia do Concelho da Marinha Grande estão contra os trabalhos para o início da época balnear que se avizinha.

O Instituto da Água (INAG) prevê iniciar em Junho as obras de estabilização das arribas de São Pedro de Moel, no concelho da Marinha Grande, situação contestada pelos comerciantes, que temem uma época balnear mais fraca. Embora a maioria dos habitantes e comerciantes tenham em conta que as obras são necessárias e urgentes, consideram que vão ser prejudicados por estas se realizarem em plena época balnear.
Segundo o INAG e a Câmara Municipal da Marinha Grande é uma obra, com um prazo de execução de nove meses, que é feita por razões de segurança, de pessoas e bens, e há uma parte da intervenção que só pode ser executada no verão, daí a necessidade de o investimento arrancar nesse período.

Destacamos algumas iniciativas que vão acontecer no nosso Concelho durante o decorrer das comemorações do 25 de Abril:

Dia 19 Abril 21h00
Auditório Biblioteca Municipal
Colóquio com o Professor e Jornalista Carlos Magno
"Inovação como forma de Competitividade"
 
Dia 23 Abril 18h00
Galeria Municipal
Tertúlia sobre o 25 Abril
Moderador: Aires Rodrigues
 
Mais um passo no caminho da extinção da cristalaria PDF Print E-mail
Terça, 12 Abril 2011

crisform

A Marinha Grande foi confrontada com a notícia “há muito esperada para os que andam menos distraídos” com o fecho do Crisform que vem ditar mais um passo no caminho da extinção da cristalaria, caso Instituto de Emprego não dê continuidade à formação. O encerramento do Crisform, o único centro de formação profissional para a cristalaria do País, é mais uma 'machadada' num sector já débil e que nos últimos anos tem vindo a registar sucessivos fechos de empresas, tornando, cada vez mais curto, o caminho para a extinção.

Contenção de custos levou o Governo a declarar, em Diário da República, a extinção do Crisform.

O Crisform localiza-se na zona industrial da Marinha Grande. Nos primeiros anos da sua existência, em 2000, em instalações provisórias, o Crisform criou as bases do seu funcionamento, e a par das acções de formação, desenvolveu algumas de apoio a empresas.

Hoje, dotado de instalações e equipamentos adequados à formação em todas as técnicas de trabalho no vidro, assume um papel estratégico no desenvolvimento da actividade vidreira, abrindo-se à investigação e treino dos profissionais da indústria e artistas independentes.

Levar a técnica à arte e a arte ao vidro' é o lema do Crisform, que promove o progresso da arte vidreira, aumenta as qualificações dos profissionais do vidro e incentiva a aposta de criadores e artistas no uso dos seus projectos. Mas o que importa verdadeiramente saber é o porquê do Encerramento do Crisform agora? Onde estão os milhões e milhões de escudos e agora euros que foram investidos para uma recuperação do sector? Onde estão e onde vão ficar os trabalhadores do sector vidreiro? O que foi feito á marca MG Glass? Os BE têm batido pela transparência, pelo rigor e pela denúncia destas questões. São respostas que não vêm, nem interessam vir quer da parte dos governos sucessivos, quer dos diferentes executivos autárquicos, quer dos agentes locais e dirigentes do Sindicato Vidreiro quer das sucessivas direcções do próprio Crisform. De há muitos anos a esta parte que se sente um “silêncio ensurdecedor sobre esta matéria. MORREU o VIDRO, tal como sangraram os FORNOS DAS SUAS FÁBRICAS, tal como foram abandonados e desprezados os seus trabalhadores. Fica a lembrança e o património histórico de uma arte que foi obrigada e condenada a morrer.
 
Óleos Alimentares Usados PDF Print E-mail
Sexta, 04 Fevereiro 2011

O Decreto-Lei n.º267/2009, de 29 de Setembro estabelece o regime jurídico dagestão de óleos alimentares usados (OAU) e cria um conjunto denormas que visam a implementação de circuitos de recolha selectiva,o seu correcto transporte, tratamento e valorização, por operadoresdevidamente licenciados para o efeito.

Os municípios comoresponsáveis pela recolha dos OAU devem promover e gerir redes derecolha selectiva municipal de OAU. No caso específico do Municípioda Marinha Grande o diploma legal impõe uma rede com 10 pontos derecolha que devem ser implementados até 31 de Janeiro de2011.

Neste sentido o BE,questionou na última Assembleia Municipal da Marinha Grande, oexecutivo camarário acerca da não implantação de qualquer pontode recolha de OAU no Município até à data, ao contrário de muitosoutros concelhos que já cumpriram com as metas impostas peloreferido diploma. A resposta obtida foi de que o executivo já tinhaadquirido 5 oleões e que se encontrava em processo de aquisiçãodos 5 que se encontram em falta.

A Concelhia do BE daMarinha Grande reitera que esses pontos de recolha de OAU devem serinstalados o mais depressa possível, de forma a permitir àspopulações um correcto encaminhamento dos óleos alimentaresusados, que todos os dias geramos nas nossas casas, relembrandotambém que a eliminação destes resíduos, em desrespeito peloreferido regime geral, através dos colectores urbanos, dificulta eonera os sistemas de gestão de águas residuais, com repercussõesnegativas ao nível das tarifas do saneamento, comporta um riscoassociado de contaminação dos solos das águas subterrâneas esuperficiais e hipoteca a sua reciclagem nomeadamente para produçãode biodiesel.

 

Cristiana Sousa 

 
A necessidade de Reabilitar PDF Print E-mail
Quinta, 27 Janeiro 2011
O caminho das nossas cidades dos últimos 30 anos foi o da nova construção. Os resultados dessa politica estão bem à vista , existem muitas casas sem gente e muita gente sem casa, os centros das cidades estão vazios, como é exemplo a Marinha Grande. Existem caaquipodiavivergente3.jpgsas completamente degradadas ou em ruínas, as pessoas que ainda habitam no centro perderam qualidade de vida, o comércio local passa por grandes dificuldades, as novas gerações foram afastadas do Centro Histórico.
Aquando da proposta de aplica
ção das taxas de IMI para o Município, o bloco demonstrou a sua preocupação sobre esta “realidade”, apelando a um consenso das forças politicas do Concelho para olharem esta problemática, era preciso dar um passo  positivo para se iniciar uma nova era no centro histórico da cidade.
Ler mais...
 
Administração dos CTT manobra para reduzir salários dos trabalhadores no distrito de Leiria PDF Print E-mail
Quarta, 13 Outubro 2010
 
O heitor_sousa.jpgDeputado Heitor de Sousa, a propósito da situação dos trabalhadores dos CTT no distrito de Leiria, questionou
o Ministério do Trabalho e Solidariedade Social e ao Ministério das Obras Públicas Transportes e Comunicações.

Ficam aqui as questões para vosso conhecimento.

 

 

 

 

 


Ler mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 Próximo > Fim >>

Resultados 1 - 6 de 22
© 2017 Site Distrital de Leiria - Bloco de Esquerda
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.