Destaque arrow Caldas da Rainha


Menos areia é mais Lagoa PDF Print E-mail
Terça, 12 Abril 2011

lagoaobidos.jpgO  Bloco de Esquerda propôs, em 2009, a aquisição de uma draga, em conjunto com outras Câmaras Municipais para a dragagem regular da Lagoa de Óbidos e da Baía de S. Martinho do Porto, com a criação de uma estação de lavagem de areias para viabilizar economicamente o processo e para que a revitalização da Lagoa e do seu ecossistema permitam a sustentabilidade das actividades de apanha de marisco bem como as ligadas aos desportos náuticos e ao turismo.

A 25 de Março de 2011, o BE entregou ao Ministério do Ambiente perguntas nas quais se questionava: o motivo da interrupção e justificação para não se avançar com a dragagem e reabilitação da Lagoa; quando é que vão recomeçar a intervenção; se vai incluir a despoluição, desassoreamento e consolidação da orla costeira; e se vão continuar com as descargas de areia na praia, a tempo da actividade balnear do próximo verão.

A estratégia da Câmara Municipal das Caldas da Rainha é simples, continuar com as descargas de areia na praia da Foz do Arelho, para que a aberta da foz continue a Sul. Não sabemos em que estudos se baseiam pois a foz continua a tentar abrir a Norte e a levar a areia para dentro da Lagoa. O assoreamento constante tem criado várias ilhas e bancos de areia que dificultam a navegação.
 
Comunicado CHON - Março 2011 PDF Print E-mail
Terça, 12 Abril 2011
Hospital das Caldas da Rainha

 
A questão do CHON – Centro Hospitalar Oeste Norte é uma questão em aberto. Apesar da política de facto consumado desta senhora Ministra da Saúde do segundo governo Sócrates a querer encerrar com uma decisão que vai conta o interesse das populações do Oeste, e de o senhor primeiro-ministro não dizer uma palavra sobre uma decisão que o desautoriza perante as populações do Oeste, este é um assunto demasiado importante para ser remetido a um despacho administrativo de uma Ministra da Saúde com prioridades exclusivamente economicistas.

A imprensa local noticia uma recente visita do Governador Civil do Distrito de Leiria a Caldas da Rainha e ao Hospital Distrital, que é da maior relevância política e lança maior clareza sobre este assunto. Ainda que assumindo a linha do pragmatismo dominante, ditado por questões exclusivamente orçamentais, o senhor Governador Civil do Distrito de Leiria deixa escapar a sua opinião mais substantiva, classificando as obras de ampliação do Hospital Distrital como “remendos”. Convém sublinhar, e recordar aos mais distraídos, que o actual Governador Civil do Distrito de Leiria é médico de profissão. Felicitamos o senhor Governador Civil pela sua honestidade intelectual, que não será estranha ao compromisso deontológico que o acompanha permanentemente na sua profissão. 

Esta posição do senhor Governador Civil vem ao encontro das posições públicas do Corpo Clínico do Hospital Distrital de Caldas da Rainha, explicitadas em documento colectivo abaixo-assinado por largas dezenas de profissionais em tempo recorde e publicado na imprensa local em finais do ano de 2010, antes do infeliz despacho da senhora Ministra da Saúde que recua para a decisão lesiva das populações, decidindo pela ampliação do actual Hospital, contrariando o que estava previsto em exercício do governo anterior, e assumido publicamente pelo mesmo primeiro-ministro.

A concelhia de Caldas da Rainha do Bloco de Esquerda mantém a sua visão nesta matéria. Pensamos que a construção de um novo Hospital Distrital é uma melhor solução para as populações do Oeste. A nossa convicção repousa nos mesmos estudos técnicos, enquadrados no âmbito Plano Nacional de Saúde, que suportaram a decisão inicial do anterior Governo para a construção de um novo Hospital Distrital. Lamentamos que se queira recuar na decisão, lesando os interesses das populações, devido à situação conjuntural de dificuldades económicas do país. Entendemos que seria prudente remeter esta decisão para um horizonte de médio prazo, onde na ponderação coubesse a prioridade dos serviços de saúde e não apenas a perspectiva economicista. Esta decisão vai influenciar a vida das populações, a qualidade dos serviços de saúde prestados, e até o desenvolvimento da região num prazo alargado de várias décadas e muitas gerações. É uma decisão demasiado importante, para toda a região, para estar à mercê de uma decisão administrativa de uma Ministra da Saúde condicionada pelas finanças. 

Lamentavelmente, neste assunto como em outros, a Câmara Municipal de Caldas da Rainha e o partido que a suporta, não apresentam uma posição firme e apoiada em estudos técnicos, fazendo, como há muitos anos, décadas, o papel provinciano de aceitar tudo o que o poder central decide, e ainda ter o despudor e a falta de vergonha de tentar apresentar estas derrotas como grandes conquistas políticas. Quem se contenta, continua e persistentemente, com as piores opções oferecidas pelos governos centrais, não tem condições políticas para conseguir as melhores soluções. Por mais que tentem convencer os cidadãos do contrário, a não-construção de um novo Hospital Distrital, além de um inaceitável recuo do poder central é uma enorme derrota desta Câmara Municipal e do partido que a apoia. O BE de Caldas da Rainha tudo fará para inverter esta situação, a bem das populações do Oeste, do nosso desenvolvimento colectivo e de uma maior qualidade de vida para todos.

O Secretariado da Concelhia do Bloco de Esquerda de Caldas da Rainha, 9 de Março de 2011.
 
COMUNICADO DO BLOCO DE ESQUERDA PDF Print E-mail
Quinta, 03 Fevereiro 2011

                                              
                            (RESPOSTA AO COMUNICADO DA CÂMARA MUNICIPAL SOBRE O TERMO SO CONTRATO DE COMODATO COM A "DE VOLTA A CASA"

Vem a Câmara Municipal, perante o clamor que em toda a sociedade caldense se levantou, justificar o injustificável, que se traduziu no encerramento das suas instalações, cedidas por contrato de comodato à Associação "De Volta a Casa". 
A Câmara Municipal das Caldas da Rainha, através de um seu comunicado, publicado na imprensa local, insiste em problemas inexistentes como sejam os indícios de criminalidade, falta de higiene e outros que estariam ( e pensa-se virem a estar) para se resolver, como seja o atraso na eleição de novos corpos gerentes da associação. Refere a edilidade, também, queixas por desacatos à PSP.
Quanto a indícios de criminalidade, estes, são um absurdo, um juízo de valor preconceituoso, por provar. Quanto à falta de higiene nas instalações, isso é uma grosseira mentira, conforme o testemunhado por muitos que as visitaram  e que, antes pelo contrário, admiraram o extrema limpeza, que o refeitório patenteava. Quanto ao atraso na regularização dos Corpos Gerentes da Associação trata-se de um atraso de meses, que não fora o inadmissível despejo e, certamente, o problema já estaria resolvido. Quanto às queixas por desacatos à PSP, embora neste comunicado a Câmara não o diga, ficamos a saber, por notícia do "Jornal das Caldas", de 19 de Janeiro de 2011, que, afinal, as tais queixas, feitas por famigeradas "cartas", da PSP (que a Câmara durante demasiado tempo ocultou), datam única e exclusivamente de 2005 e 2006. não tendo, posteriormente, havido outras; e se problemas havia competia à PSP resolve-los e não  vir fazer queixas à Câmara.
Ler mais...
 
Câmara das Caldas despeja Associação Volta a Casa PDF Print E-mail
Quinta, 27 Janeiro 2011

De Volta a Casa

A “De Volta a Casa” é uma associação de apoio social que doa refeições a pessoas em situação de pobreza, sem-abrigo, no limiar da exclusão social e com carências alimentares. A Câmara Municipal de Caldas da Rainha não renovou o contrato de comodato e não está interessada em solucionar a continuação da Volta a Casa, querem deixar morrer esta ajuda, rotulando os utilizadores.

Não é uma questão de espaço, é o dever social que a Volta a Casa assegura.
Com as condições sociais correntemente degradadas e as medidas de austeridade de 2011, haverá mais necessidade desta acção social directa. A Câmara decide unilateralmente retirar o apoio a uma associação, discriminando e estigmatizando a associação e seus utentes.
O Bloco de Esquerda condena e denuncia veementemente esta atitude anti-solidária da Câmara e manifesta o seu total apoio à Associação Volta a Casa e para que tenha continuidade do seu trabalho social.
s desta associação como marginais. Não são
marginais, são pessoas com fome.

 
Carta Aberta PDF Print E-mail
Quarta, 26 Janeiro 2011

Senhora Deputada e Vereadora  Maria da Conceição

Permita-me desde já que assim a trate ("DAMA DE FERRO DAS CALDAS") porque o cognome assenta-lhe como uma luva.  E acho que abespinhar não se pode, com esta minha liberalidade, porque deve ser fã da dita cuja britânica criatura e da sua imitadora (ou clone) portuguesa, uma abencerragem, na minha opinião, de sua graça (mas sem graça) Manuela Ferreira Leite.

Vou começar esta minha carta aberta por lhe contar uma história (verídica) em que precisamente foi protagonista a nossa DAMA DE FERRO NACIONAL. Corria para aí o já distante ano de 1993 (se a memoria me não falha),  quando essa nossa figura de referência da frieza,  na política,  resolveu proceder ao maior despedimento colectivo, de que houve e há memória,  em Portugal.   Sua Exª. era então Ministra da Educação do seu Padrinho Primeiro Ministro Cavaco (o que lucrou com o BPN, que teremos de pagar), quando resolveu despedir cerca de dez mil humildes trabalhadores auxiliares das Escolas, que mal ganhavam para comer.   O escândalo foi enorme, mas S. Exª. não cedeu e levou a sua avante, fazendo jus ao cognome de "dama de ferro".  Ora uma Amiga minha, então dirigente sindical da Federação dos Sindicatos da Função Pública, numa audiência, que com esta ministra, de triste memória, teve, esgotada muita da argumentação,  perguntou-lhe,  muito a propósito, qualquer coisa como,  se ela,  Manuela Ferreira Leite, conseguia dormir descansada,  se não lhe doía o coração ?



Ler mais...
 
Os Deputados do Bloco de Esquerda prestam contas PDF Print E-mail
Quarta, 10 Novembro 2010

 



 

Sessão pública sobre o Orçamento de Estado e as propostas do BE
com o deputado da Assembleia da República Heitor de Sousa

Quinta-feira, dia 18 de Novembro, Caldas da Rainha

Local:
Sede do Bloco de Esquerda das Caldas da Rainha
Centro Comercial Avenida
Rua do Jasmim, nº 1 - Loja 2

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 Próximo > Fim >>

Resultados 1 - 6 de 38
© 2017 Site Distrital de Leiria - Bloco de Esquerda
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.