Destaque arrow Nazaré arrow Criada Empresa Municipal


Criada Empresa Municipal PDF Print E-mail
Sábado, 27 Setembro 2008

Na Assembleia Municipal da Nazaré aprovou-se a criação de uma nebulosa Empresa Municipal responsável pela projecção, execução e exploração de um grande Complexo Turístico: 37 hectares de Marina e 611 hectares de campos de golfe! Curiosidade: quando chegar a altura da exploração, a Empresa deixa de ser Municipal e fica na detenção de privados!Negociatas na CMN

Para além da abertura de Concurso Público para a Área Empresarial e Industrial de Valado dos Frades, foi "discutida" na Assembleia Municipal a criação da Nazaré XXI, SA, Empresa Municipal. A Empresa foi criada.

Aprovou-se a alienação de 49% do capital social; a delegação de poderes contratuais da Assembleia na pessoa do Presidente da Câmara e delegou-se na própria Empresa poderes também da Assembleia de organização e gestão do território.

O Bloco de Esquerda propôs que este assunto fosse discutido numa Assembleia extraordinária, com vista a ser possível ouvir os restantes autarcas do concelho e todos os munícipes. Com o argumento de que este documento é "meramente" técnico e demasiado complexo para cidadãos comuns, PSD, PS e a maioria dos deputados do GCI forçaram a aprovação imediata.

Fábio Salgado, deputado pelo Bloco de Esquerda, denunciou que "mais de metade dos deputados que aprovaram o documento nem lhe tocaram, não o leram", desafiando cada um a assumir o conhecimento que têm, ou não, do assunto em discussão.

"Aqui falta-se ao respeito aos cidadãos da Nazaré! Um órgão representativo que não ouve os representados, não cumpre a sua função" alertou Fábio Salgado.

Durante a discussão foi feita a seguinte Intervenção:

  A história do "Pedro e o Lobo" é transversal a praticamente todas as culturas, suponho. Talvez com outros nomes, outras personagens. Nós, por cá, temos uma história ainda mais curiosa. O Pedro é o presidente da Câmara, Jorge Barroso, que há mais de uma década nos anuncia o Lobo – o turismo, o investimento, o bem-estar da população. Mas o senhor presidente já sabe que já ninguém o leva minimamente a sério.
                Mas não há problema! Chama-se outro! No caso o vereador António Salvador que além do seu jornal pessoal e intransmissível tem todo um novo discurso. Novo mas velho. Talvez assim a gente acredite... Porque o prometedor é outro. Ora, todos sabemos que o mensageiro é "apenas" mensageiro, vem do mesmo lado.
                Quer-se com isto alertar que faltam 13 meses para as eleições; que temos esta Câmara à 15 anos e faltam outros 15 anos para a concretização do que aqui se promete. Cheira a esturro? Pois cheira!
                O Bloco de Esquerda não acredita nem alinha neste "brincar à política". Uma Câmara desgovernada tanto tempo e de forma tão gravosa não se cura assim. Alertamos para a urgência de mudar não só as caras, como as políticas. É urgente revitalizar o turismo, o comércio, a indústria, a hotelaria. É urgente criar condições para que os jovens tenham na Nazaré mais que o Modelo e os empregos de verão criados pela Câmara.
                É necessária uma política séria de habitação e revitalização do centro histórico; é já tardia a criação de condições de acesso à saúde e à educação.
                Não há Nazaré reconhecida pelo mundo se não houver jardins e se continuar a entregar terreno às construtoras de apartamentos a preços de luxo.
                Continuamos, com a presidência de Jorge Barroso, a promover uma Nazaré imaginária, com mais investimentos num só ano que numa década.
Consideramos bem-vinda a marina e todas as infra-estruturas turísticas e outras possíveis, mas a que custo? Nunca a custo dos que hoje aqui estão. Empenhar o presente não é solução de futuro! Atenção às megalomanias e às promessas de quem já tudo prometeu!
As estradas têm remendos em cima de remendos! Os candeeiros já foram azuis, depois brancos mas agora é que se reorganizará a marginal.
O campo de futebol deu lugar a mais blocos de casas de férias. O ascensor perdeu capacidade de transporte.
No Casino (salão de festas) não dá para chegar ao lugar a não ser que se saiba voar muito bem; o Cine-Teatro é sub-aproveitado; o Teatro Chaby Pinheiro já não é o que nunca se conseguiu que fosse; os Kiospap estão cheios de lixo comum; faltam papeleiras; não se recicla na Nazaré.
Perdemos a Bandeira Azul mas com a garantia de que não a perderíamos com as leis do futuro; as placas oficiais do arrendamento particular são diferentes todos os anos; a dívida do município é maior sempre e sem que se justifique.
E a escola profissional? E o Pólo Universitário? E a concretização daquele esquema amplamente repetido desde a campanha eleitoral?
Temos o primeiro santuário mariano da península Ibérica – caso para dizer "dá cá o ganho!?".
Tudo numa boa… Tudo acontece mais cedo ou mais tarde, mas mais cedo ou mais tarde é já tarde demais. "Não nos emprenhem mais pelos ouvidos, não há paciência", "o polvo está instalado" e agora "atura-o"!
A Nazaré tem sofrido muito… Monterroso e Barroso falharam de igual modo. Mas já há quem se descarte, desde quadros do PSD, passando por quadros do PS até chegar aos supostos independentes. Todos filhos do populismo e das promessas todas, mas a culpa há-de morrer solteira.
Não contem com o Bloco de Esquerda para jogar aos fingimentos. O BE desafia os actuais eleitos a esclarecerem onde e com quem estarão daqui a um ano.
Uma coisa é certa, certinha… Mais quatro anos de barrosismo é razão suficiente para prever os piores cenários.

 A Assembleia prolongou-se até cerca das 2 da manhã, quando o deputado do Bloco fez um balanço:

 

Em jeito de balanço…
Nesta Assembleia delegou-se na pessoa do Presidente da Câmara Municipal e na agora criada Empresa Municipal uma série de competências da Assembleia Municipal. Não se quis discutir os assuntos com a população, cheios de urgência!
A E. M. foi criada para servir um propósito que a própria Câmara tem capacidade de assegurar.
Não temos grandes dúvidas das engenharias financeiras presentes neste contrato. Não duvidemos que as sociedades subsidiárias não passam de formas de camuflar negociatas.
Vimos também nesta Assembleia a leviandade com que os assuntos são tratados – as risadas.
Vimos o Partido Social-Democrata congratular o Partido Socialista; o PS a votar com o PSD…! Populismo e eleitoralismo é o que se vê.
E como já disse hoje, tenta matar-se as culpas sem as casar com ninguém.
Uma Assembleia completamente descaracterizada. Vereadores que pululam da oposição para o poder; um deputado independente do Grupo de Independentes mas militante PSD.
Tudo às escuras, o mais possível!
A Nazaré já não aguenta e pelo panorama visto daqui, não se perfilam figuras capazes de gerir os destinos da Nazaré.
Aqui falta-se ao respeito aos eleitores e a todos os cidadãos da Nazaré.
O Bloco de Esquerda considera inaceitável este clima de eleições ao rubro.

  

De referir ainda que o PS apresentou uma Moção de congratulação ao Governo Sócrates aprovada por todas as bancadas (PS, PSD, Independentes e CDU) à excepção do Bloco que apresentou a seguinte declaração de voto:

 


O Bloco de Esquerda e eu próprio recusamo-nos a congratular um governo – o de José Sócrates – que é considerado dos mais gravosos de sempre.
Um governo que legaliza o emprego precário; que apresenta Call Centers como solução do desemprego no país; que asfixia o Ensino Superior; que acentua as desigualdades sociais; que ignora as grandes negociatas na Banca, no imobiliário e no combustível. Um governo que se recusa a terminar com discriminações institucionais como a Homofobia!
Um governo dito socialista que aperta cada vez mais a qualidade de vida dos cidadãos não merece de modo algum qualquer tipo de congratulação!

 

 

 

 

 
< Anterior   Próximo >
© 2017 Site Distrital de Leiria - Bloco de Esquerda
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.