Opinião

Telma Ferreira

Trabalhadores da Cultura, que futuro?

O concelho da Nazaré tem sido um exemplo claro de uma política de execução débil no investimento cultural.

Andreia Galvão

"Gossip Girl" e a cultura de opulência

A nova versão de Gossip Girl promete um elenco LGBT+, a participação de atores e atrizes afro-americanos, todo o espectro identitário necessário para legitimar um projeto desta magnitude. Mas até que ponto a nossa sociedade precisa de ver esta história contada? Por Andreia Galvão

Engenheiro Agrónomo. Deputado do Bloco de Esquerda
Ricardo Vicente

Que serviços de ecossistema se pretende remunerar?

Muitas explorações agrícolas e florestais estão hoje a atravessar dificuldades imensas, devido à total ausência de regulamentação do mercado de bens alimentares e agroflorestais.

Engenheiro Agrónomo. Deputado do Bloco de Esquerda
Ricardo Vicente

Grande distribuição vende couves 14 vezes mais caro

O Bloco de Esquerda questiona a ministra da agricultura sobre os abusos da distribuição no pagamento aos agricultores. As grandes cadeias praticaram margens de lucro superiores a mil por cento entre o natal e o ano novo.

Engenheiro Agrónomo. Deputado do Bloco de Esquerda
Ricardo Vicente

Aumentar o IVA dos fertilizantes é penalizar os mais vulneráveis

A medida foi acordada entre o PAN, o PS e o Governo para o Orçamento do Estado 2021. Penaliza apenas a pequena agricultura que não consegue reaver o IVA no final do ano e em nada contribui para alterar o modelo de produção agrícola. O Bloco votou contra.

Engenheiro Agrónomo. Deputado do Bloco de Esquerda
Ricardo Vicente

O drama da seca não se resolve com regadio

A agricultura portuguesa é essencialmente uma agricultura de sequeiro, em área e em valor de produção. Por mais obras hidráulicas que ocorram esta realidade não se pode alterar significativamente. Não há barragem nem poço que sacie a crise climática.

António Moniz

Teletrabalho em tempos de pandemia

Será que esta pandemia está a dar velocidade à transição digital, nomeadamente com o teletrabalho? Ou será que, apesar do confinamento durante cerca de 3 meses, o recurso ao teletrabalho foi feito sem grande regulamentação, cuidado ou negociação?