O novo site vai recolher e partilhar testemunhos de professores e alunos sobre o que está a ser feito na Escola Pública. Segundo Joana Mortágua, procura-se “fazer o mapeamento” do que está a ser vivido, “para em conjunto melhorarmos o futuro da Escola Pública.

As associações Mesa e Zero querem que o Governo divulgue a lista atualizada de estabelecimentos escolares com amianto que serão intervencionados, bem como o calendário de obras, tal como está previsto na lei.

O Bloco de Esquerda, em particular a concelhia do Bloco de Esquerda de Leiria, tem acompanhado e testemunhado, desde 2018, os graves danos ambientais, de segurança e de saúde pública causados pelo campo de tiro aos pratos do Clube Desportivo Campos do Lis, situado em Marrazes.

O Bloco junta, em direto no facebook do esquerda.net, Beatriz Gomes Dias, deputada do Bloco, João Salaviza, realizador, Cíntia Gil, programadora, e Miguel Moraes Cabral, realizador e diretor de som. A iniciativa está agendada para as 21h30.

Na seqência de uma visita, realizada no dia 9 de março, ao Centro de Saúde da Marinha Grande, o deputado do Bloco de Esquerda eleito por Leiria, Ricardo Vicente questiona a Ministra da Saúde sobre obras de requalificação e as carências básicas que permanecem.

Catarina Martins reuniu em Coimbra com representantes de professores, investigadores, bolseiros e estudantes do Ensino Superior

Num encontro em Coimbra, Catarina Martins alertou que “há estudantes universitários que não conseguem concluir o curso” porque não podem pagar as propinas e “há bolseiros que ficaram sem bolsa e não têm acesso ao subsídio de desemprego”. Bloco propõe suspensão do pagamento de propinas e quartos para todos os estudantes deslocados.

O encontro online conta com a participação de Berta Alves, do Grupo +60 do Bloco, Júlio Machado Vaz, médico psiquiatra, e Maria Isaura Ribeiro, diretora do lar de Monte dos Burgos. A sessão é transmitida em direto no facebook do esquerda.net a partir das 22h.

A pandemia veio destapar ainda mais problemas estruturais das creches: faltam vagas e não há tutela responsável. Para além da extensão do apoio ao acompanhamento familiar após dia 1 de junho, Catarina Martins propõe uma redução nas mensalidades para quem não possa pagar.